sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

O que tem para 2013

Eu gosto de balanços, metas e disciplina. Tem gente que prefere deixar fluir. Mas eu acho que, se a gente deixa fluir demais, acaba indo na onda dos incentivos externos e entrando naquela de consumir, comprar, comer e preguiçar (acabei de inventar esse verbo ou ele existe?).

Seguindo tudo que falei no meu post anterior, pensei aqui e resolvi focar em algumas coisas para 2013. Com certeza outras vão surgir, essas de agora podem mudar, mas é bom saber para onde se pretende ir para conseguir viver a vida que se quer para si.

1. Desapego de objetos.
- roupas (fico com pena de doar e precisar comprar depois, acho que sou mais pão dura do que desapegada e tenho que repensar isso);
- livros (certo que não tenho comprado mais, mas ainda tenho muitos que não li e muitos que eu posso doar/trocar/vender);
- CDs de música (fico com dó de jogar fora, mas nem escuto);
- blu-rays (quando comprei o aparelho, entrei em uma onda consumista e comprei um tanto de blu-rays em promoções de "compre 10 pague 8" no Submarino, então tenho umas coisas nada a ver tipo "A Era do Gelo").

2. Saúde
- controlar minha alimentação novamente (não é regime, é comer coisas saudáveis, com equilíbrio e sem tentar compensar stress e tristeza com comida);
- voltar a correr seriamente (não deixei de correr, mas fiquei sem controlar direito o meu tempo, deixando a preguiça dominar uns dias, e priorizei demais o tênis);
- voltar ao médico para ver como anda a gastrite e o colesterol (minha família dos dois lados tem histórico de colesterol alto).

3. Finanças
- carro (como pretendo sair da casa da minha mãe, vou tentar morar perto do trabalho e poder abrir mão de carro, tenho que fazer as contas pra ver se vale a pena gastar com táxi ocasionalmente ao invés de manter carro);
- salão (acho que vai ser das coisas mais difíceis, pois é muita pressão e lavagem cerebral a vida toda, mas eu preciso gastar menos tempo e dinheiro com salão, e preciso colocar em prática a minha crença de que mulher não é enfeite, e de que fazer unha é uma imposição social que não faz o menor sentido);
- investimentos (preciso estudar mais o mercado de ações, para tentar maximizar meus ganhos).

Ainda tenho uma grande questão a tratar este ano que é sair da casa da minha mãe. Tenho que escolher um lugar que seja bom para mim e para o namorado, e terei que organizar a casa, comprar um monte de coisas, reorganizar hábitos e rotinas. Um desafio, mas que estou doida para encarar.


E que venha 2013!

9 comentários:

  1. Se quiser trocar livros, podemos "fazer negócio", tenho muita coisa boa aqui e tudo em excelenetes condições. beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oba! Quero sim!!! Vou dar uma organizada no meu skoob, aí coloco lá tudo que eu tenho e você pode escolher o que quer trocar. Ele ainda não está completo, mas já tem muita coisa. Olha:
      http://www.skoob.com.br/perfil/jatemfernanda
      Veja o que gosta e vamos combinar
      :)
      Beijo!

      Excluir
  2. Nossa. Salão. Paguei outro dia 70 pra cortar o cabelo, sai quase chorando! Sou bem mão de vaca para essas coisas.

    Uns anos atrás fiz uma mudança que incluiu: fazer depilação em casa, unhas em casa e qualquer festa eu mesma que faço em penteado. E achei um lugar que cobra 25 pra cortar e é bom.

    Devo economizar uns 100 reais por mês, só fazendo as coisas em casa. Depois, com prática, até os penteados ficam bons :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que esse é o caminho, Carolina. Aprender a fazer as coisas em casa. Deve ser prática mesmo. Economiza bastante sim, tanto dinheiro quanto o tempo de deslocamento :)

      Excluir
  3. Oi, Fernanda! Quesito salão tenho algumas socializações pra fazer...hehe
    Tb sofri a mesmíssima lavagem cerebral, acompanhava minha vaidosíssima mãe à manicure ainda pequena...largar a manicure foium dos processos mais lentos pra mim nessa simplificação de vida pois sempre comprei a idéia do " tem que" estar com a " unha feita", questão de " higiene"! Fala sério, higiene é tomar banho, lavar cabeça, cortar unhas, escovar os dentes...rs Eu, que sempre adorei um salão de beleza, comecei a ficar sem paciência para tal, achar que perdia tempo demais, que o custo em tempo, dinheiro e energia não compensava para fazer algo que os outros achavam que u " tinha que'. Há quase um ano não vou à manicure...corto as unhas em casa mesmo, só tiro as cutículas que ficam assanhadas...hidrato...e estou muito satisfeita! =) Mas que rola uma cobrança social, isso rola...rs Um médico, quando de uma consulta, veio me perguntar pq eu não pintava as unhas e disse " vaidade em mulher é virtude"...é mole?! rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Ana! Rola uma cobrança social fortíssima mesmo, e uma lavagem cerebral vinda de todos os lados. É difícil não ser afetada por tudo isso.
      Eu consegui parar de ir ao salão só agora, com o incentivo de precisar economizar pois saí do emprego. E estou adorando. Faço as minhas unhas quando e se me dá vontade. Eu não sei o que vou fazer com o meu cabelo, que está precisando de corte nas pontas sim porque elas foram enfraquecendo, sabe? Pontas duplas e menos volume. Talvez eu tente eu mesma cortar. Ainda estou pensando...
      Quando ao médico, que grosso! O que ele tem a ver com a sua vida? Afe...

      Excluir
  4. Olha o spoiler nos comentários, haha... Já sei que a Fernanda largou de vez o salão e saiu do emprego estressante (espero que tenha melhorado da gastrite!). Obviamente, já sei tbm que Lud e Leo saíram pelo mundo.

    Curiosa pra saber o que mais rolou e como os planos pra 2013 terminaram! 2013 já está quase no fim!

    Fernanda, espero que vc tenha começado a cortar o cabelo sozinha! Cabelo comprido é fácil de cortar. Eu corto o das minhas amigas com tutorial do Youtube. Aliás, um dos motivos que está me motivando a deixar o cabelo crescer é justamente ficar mais fácil de cortar sozinha (o meu curto eu corto sozinha há uns 2 anos, mas é mais difícil cortar atrás e a probabilidade de fazer besteira é maior. Eu sei. Eu já fiz.)

    Bora continuar a leitura...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahaha... É verdade.

      Quem corta o meu cabelo é um amigo meu que é cabeleireiro. Eu faço questão de pagar para ele porque durante anos, quando eu era adolescente e sem dinheiro nenhum, ele arrumou meu cabelo e me maquiou de graça. Então eu corto com ele, na casa dele, e pago. Além de ser um agradecimento e reconhecimento de tudo que ele fez, acho que ele faz um excelente trabalho fazendo cortes que não deixam meu cabelo armado, sabe? Hehe...

      Beijo!

      Excluir
  5. Ah, tá... Então vc tem um ótimo motivo pra continuar cortando com ele! =)

    ResponderExcluir