segunda-feira, 3 de junho de 2013

Poder sair fora

Sempre falamos aqui que uma das coisas mais legais que o minimalismo e o baixo custo de vida proporcionam é a liberdade. De poder mudar de cidade, de país, de vida e de emprego. Quando a gente gasta pouco, guarda muito e tem mobilidade, temos mais poder de escolher o que queremos para a nossa vida.

Mesmo assim, não é fácil mudar de vida. Venho me debatendo com isso já há algum tempo, como contei aqui, mas não tinha dado muitos detalhes ainda. É o seguinte... Não estava feliz no meu trabalho, por vários motivos que não vem ao caso, mas sobre os quais eu não podia fazer nada. Estava tão cansada de lutar contra essa insatisfação!

Quando me vi voltando para casa chorando no volante e brigando com meu namorado por puro mau humor, percebi que algo estava muito errado. Logo depois, li também esta entrevista com a Ana Paula Padrão que me fez pensar muito. Refleti, conversei com algumas pessoas e tomei minha decisão. Pedi demissão.

Agora estou repensando o que quero para a minha vida. Enquanto isso, vou continuar com o minimalismo, com o blog, com meu processo de autoconhecimento e com meus investimentos. Vou começar a procurar outras opções de trabalho, quem saber fazer uns frilas...

Estou com um pouco de medo do desconhecido, mas muito feliz de ter saído de uma situação tão ruim e animada com as novas possibilidades. Desejem-me sorte.

Foto aleatória.

30 comentários:

  1. Fernanda,
    Tenha certeza que vc tomou a melhor decisão e, ainda, se preparou para isso. Boa sorte na nova fase, estou torcendo por vc :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muuuuito obrigada! Estou confiante. :)

      Excluir
  2. Oi Fernanda,

    Boa sorte nesse novo caminho! Quando o trabalho nos faz chorar, está na hora de procurar outro. Eu tenho isso muito claro para mim, trabalho porque preciso, mas não é por isso que tem que ser um fardo. Tenho muita sorte de trabalhar na minha área, em um lugar legal, com pessoas boas de tratar e ainda ter um bom salário. Eu valorizo muito isso, porque já tive trabalhos bem piores, com gente que não me valorizava e ainda solapava o trabalho.

    Um abraço, Daniela

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Daniela!

      Muito obrigada! Eu também preciso trabalhar, é claro. Mas tenho sorte e me preparei para poder escolher não ficar em um lugar que me faz mal. Eu trabalhava antes em um lugar muito legal, mas que deu errado por má gestão financeira dos donos. Eu lembro como era bom. Mas esse último estava muito sofrido. Então vou me recompor emocionalmente e procurar algo melhor. Estou esperançosa de que vou achar algo assim :)

      Um abração!

      Excluir
  3. Oi Fernanda!

    Muito boa sorte nesta nova fase! Entendo você! Parabéns pela coragem! Com certeza, tomou a decisão certa e logo novos caminhos se abrirão para você!

    bjs, Andreia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Andreia!
      Muito obrigada :)
      Estou otimista. Não dava para continuar como estava. O futuro há de ser melhor. Hehe...
      Beijo!

      Excluir
  4. Olá Fernanda!
    Qualquer decisão que tomamos na nossa vida vem carregada de muita emoção ainda mais quando se trata de emprego. Entendo que essa atitude nos favorecem, amadurecemos e transformamos nossas vidas para algo melhor. Felicidades em sua nova caminhada e continue sua aventura em busca do autoconhecimento. Obrigada por partilhar conosco essa bela experiência, um grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu que agradeço, Dayse! Obrigada pelas palavras :)
      E você tem razão. Sinto que estou nesse momento de transição.
      Um abraço!

      Excluir
  5. parabens pela coragem, fe! e boa sorte!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Isa! Precisou de coragem mesmo. Mas pior que estava não fica. Hehe...

      Excluir
  6. Fernanda,

    Esse ano eu tomei uma decisão que também mudou bastante meu rumo na vida, que foi trancar a faculdade de engenharia e voltar a estudar pros vestibulares. A sensação de alívio é tão grande quanto a do medo do que vem pela frente, mas é sempre bom saber que estamos buscando o melhor para nossa vida, né?

    Boa sorte!

    Beijos,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente como estou me sentindo, Rê! Medo, alívio, empolgação. Cada hora uma emoção diferente. Hehe... Mas tenho certeza que foi melhor do que continuar como estava. Boa sorte para a gente! Beijo :)

      Excluir
  7. Oi, Fê. Em fevereiro deste ano exonerei minha última matrícula como funcionária pública porque também estava muito infeliz. É difícil, e mesmo as pessoas que te apóiam (porque desejam o melhor para você) não te compreendem, e te apóiam ao mesmo tempo em que te cobram essa decisão... Ainda não consegui recolocação no que eu realmente queria, mas é um alívio ter largado a mão da infelicidade. Beijo e boa sorte!!! Pra nós!!! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um alívio mesmo. E realmente não é fácil. As pessoas não entendem que sair de um trabalho estável possa ser o melhor caminho, mas pensam isso pois não são elas que têm que conviver com a infelicidade dia após dia. Só a gente vive a nossa vida, com todas suas consequências, então a gente tem que escolher o que é melhor pra gente mesmo. Vamos com calma que vamos conseguir, Simone! Sorte para a gente :)
      Beijo!

      Excluir
  8. Fernanda, acabei de pedir demissão de um trabalho que paga MUITO acima da média do mercado. Todo mundo me pergunta "tem certeza?" Sim, eu tenho certeza. Passei um ano a mais do que eu queria trabalhando lá. Um lugar legal, mas onde eu não tenho espaço pra crescer, onde minha energia investida ia pro ralo. Fiquei só até conseguir algo pra substituir (fui cagona, devia ter largado tudo e tirado um sabático de verdade no ano passado. Mas tudo bem.) Olha, melhor coisa que eu fiz. ABrir espaço pra novidades. Já têm coisas novas rolando.
    Como disse uma colega de trabalho, é preciso tirar o pé do degrau debaixo pra subir a escada. Um beijo!!! Siga em frente!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hehe... Gostei do que sua colega falou, Emilia. Pois é... Eu fiquei pensando em só sair quando tivesse outra coisa para substituir, mas eu não ia ter energia e nem objetividade para achar outra coisa que fosse boa de verdade, sabe? Por isso escolhei dar esse tempo. Para poder, inclusive, escolher melhor!
      Vamos em frente!!
      Beijo!

      Excluir
  9. Já passei pela mesma situação e graças que eu tb tinha suporte pra mandar o emprego ruim pro espaço e procurar algo melhor.
    O que me deixou triste foi que depois de encontrar um emprego q amava tive que sair pq mudei de Estado... mas a vida segue e novas oportunidades sempre aparecem.
    Sei q o medo aparece, mas vc vai tirar de letra!
    Boa sorte!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que chato isso que te aconteceu... Mas tem razão. Vamos buscar as oportunidades que elas existem sim.
      Obrigadinha! Meu maior desafio agora é controlar o medo e a ansiedade, mas estou otimista :)

      Excluir
  10. Eu admiro pessoas que conseguem fazer isso, principalmente sem ter um plano B já muito bem encaminhado (outro emprego ou fonte de renda meio certa). Eu sou muito medrosa e não sei se conseguiria fazer isso... Espero aprender aos poucos a enfrentar esses medo e inseguranças e chegar lá. Vou lendo o blog seu e da Emília (outra corajosa) e talvez eu vá aprendendo com vocês! Beijo e boa sorte!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Marina!
      Bom... Com o tempo, eu passei a acreditar que minha própria capacidade de trabalho vai me fazer arrumar outro emprego, mesmo que demore um pouco. E eu tenho meu plano B que é meu baixo custo de vida e meus investimentos, que me permitem ficar um tempo traquila, esperando um emprego que eu realmente queira. Claro que eu tenho medo, mas eu racionalizo desse jeito e fico mais tranquila. Hehe... Obrigadinha! Beijo!

      Excluir
  11. Fernanda, boa sorte! Tenho certeza que você vai encontrar um novo caminho, que tenha mais a ver com você. :) Beijo! Alexandra

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Alexandra! Estou esperançosa :)
      Beijo!

      Excluir
  12. Boa sorte, Fernanda! Foi uma decisão forte. Que ela te leve longe :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Anna! Tomara, viu? Mas pior do que estava, não fica. Hehe...

      Excluir
  13. Já fiz isso uma vez, há dois anos precisamente e quer saber? Foi a melhor decisão, além do que depois disso consegui crescer tanto profissionalmente que agradeço todos os dias por estas conquistas. No começo fiquei insegura demais, mas fui me recompondo, reestruturando aos poucos, diminui muitos os gastos até conseguir uma colocação legal. É um processo e como todo processo envolve sofrimento e conquistas. Te desejo tudo de bom ... Vai contando para a gente o que for conseguindo ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada! Tomara que, daqui a alguns meses, eu possa voltar aqui e falar o mesmo que você :)

      Excluir
  14. Olá, Fernanda.

    Não tenha dúvida de que tomou a melhor decisão. Eu também já passei por isso (um emprego que me fazia chorar, algo que não faço com facilidade) e aguentei muito menos tempo que vc.
    Não há dinheiro no mundo que pague ser infeliz!
    O fato de vc já ter gastos baixos e uma educação financeira são um ótimo suporte para essa situação. Tenho absoluta certeza de que daqui a pouco vc vai olhar para trás e ser muito grata por ter tomado essa atitude.
    E, só pra terminar, quem vive com medo vive pela metade :)

    Ótima sorte!

    Bjs,

    Andreia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Andreia!
      Realmente. Não vale a pena. Eu demorei demais mesmo. Mas estou feliz de ter conseguido, de ter vencido o medo e o conformismo. Estou otimista.
      Muito obrigada pelo apoio.
      Beijo!

      Excluir
  15. Essa é uma decisão difícil. Também aconteceu comigo este ano. No início do ano comecei a trabalhar num cargo de coordenação, estava ganhando bem e estava me achando porque era uma coisa que queria muito. Porém, o tempo foi passando e descobri que o cargo que estava não era algo que queria tanto, a instituição tinha vários problemas, não tinha horário para voltar pra casa e estava totalmente estafada. Fiquei neste lugar 4 meses, dos quais chorei por 2 meses todos os dias. Foi pouco tempo? Foi. Mas foi uma coisa que me tomou muita energia, o que estava me prejudicando e prejudicando quem estava ao meu lado. Pedi demissão. Senti um alívio. Consegui a bolsa do doutorado e agora estou um pouco mais tranquila. Pelo menos agora tenho tempo para fazer atividade física e cuidar de mim. É um risco, uma decisão. Mas temos que ficar leves e pensar no que realmente queremos. Boa sorte!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 2 meses chorando todos os dias não é pouco tempo, Fer. Eu te entendo totalmente. Que bom que você conseguiu sair dessa! E que legal que conseguiu a bolsa! Parabéns!!! Se você souber de vagas na área da EAD, me avisa? :)
      Boa sorte para ti no doutorado!
      Beijão!

      Excluir